logo Africans-Ukraine PNG- Fond transparent

Petição à União Europeia e aos Estados Membros Schengen

FR | EN | DE | IT | ES | PT | UA

Em solidariedade, acabemos com o sofrimento dos não ucranianos que fogem da guerra

0
assinaturas

   Objectifs :  

  • Personnalités : 10 signatures  
  • Organisations : 20 signatures   
  • Citoyen.nes : 250 signatures

A Europa demonstra uma grande solidariedade com os ucranianos que fogem da guerra. Infelizmente, esta solidariedade não se estende a todas as vítimas de um mesmo conflito. Centenas de estudantes de África e da Ásia que fugiram da Ucrânia estão a pedir desesperadamente aos países europeus que lhes permitam continuar os seus estudos, uma vez que regressar aos seus países de origem sem completar a sua educação iria destruir ainda mais as suas vidas. Eles precisam do seu apoio.

Leia a petição completa

Petição à União Europeia e aos Estados Membros Schengen

Em solidariedade, acabemos com o sofrimento dos não ucranianos que fogem da guerra

A guerra forçou mais de oito milhões de ucranianos ao exílio. Nacionais de países terceiros, na sua maioria estudantes, residentes na Ucrânia, foram também forçados a fugir do bombardeamento.

A Europa demonstra uma grande solidariedade para com os ucranianos. Mas infelizmente, esta solidariedade não se estende a todas as vítimas do mesmo conflito. Centenas de pessoas de África e da Ásia estão excluídas do estatuto de "protecção temporária" na União Europeia (UE) e no espaço Schengen.

A base jurídica para este tratamento diferenciado é a decisão da UE de 4 de Março de 2022 que concede "protecção temporária" aos refugiados ucranianos. Vários países vinculados pelos acordos de Schengen utilizaram isto como base para as suas políticas de acolhimento de pessoas em fuga do conflito.

Para receberem protecção, os nacionais de países terceiros devem possuir uma autorização de residência válida na Ucrânia e demonstrar que não podem regressar ao seu país de uma forma segura e sustentável. Aqueles que não satisfazem estas condições recebem asilo, o que muito provavelmente resultaria no seu afastamento, uma vez que são estudantes e não têm motivos para asilo.

Mais de quatro meses após o deflagrar do conflito, a decisão da UE oferece protecção aos ucranianos, mas agrava o sofrimento de milhares de nacionais de países terceiros. Estes não ucranianos estão traumatizados pela guerra e pela rejeição do seu pedido de protecção, o que prejudica, em particular, a educação contínua dos estudantes que fogem da guerra.

Segundo a Unesco, em 2020, a Ucrânia terá cerca de 61.000 estudantes estrangeiros. Invisíveis nos números sobre a guerra, estes estudantes são estimados por associações que os defendem em cerca de mil em França e menos de uma centena na Suíça. Na Ucrânia, estudavam cibercriminalidade, informática, medicina ou química, entre outras matérias.

Num apelo de ajuda lançado a 17 de Junho de 2022 na Suíça, como parte do Dia Mundial do Refugiado, estudantes de países terceiros explicaram que um regresso ao seu país sem completar a sua educação iria destruir ainda mais as suas vidas. Sentindo-se abandonadas pelos líderes mundiais e organizações internacionais, estas pessoas que fogem da Ucrânia dizem que não aprendem dia após dia e que a incerteza em torno da sua capacidade de acesso à educação está a corroer-lhes o coração. Pedem à Europa que lhes dê uma oportunidade de completar a educação que iniciaram na Ucrânia.

A nossa solidariedade e apoio às pessoas que fogem da guerra na Ucrânia não deve depender da nacionalidade das vítimas. Nós, os povos da Europa, África, Ásia, América e do mundo, apelamos à Comissão Europeia, ao Parlamento Europeu, ao Conselho Europeu e aos governos de cada Estado do espaço Schengen, incluindo o Conselho Federal Suíço, para que o façam:

    - estender a protecção temporária a todos os refugiados em fuga da Ucrânia, independentemente da sua nacionalidade

    - criar urgentemente um mecanismo ad hoc a nível europeu que permita aos estudantes de países terceiros continuar a sua educação nas universidades e colégios europeus

    - emitir, na sua falta, autorizações facilitadas aos estudantes antes do início do ano académico 2022-2023 a nacionais de países terceiros para lhes permitir continuar a sua educação nas universidades e colégios europeus durante a guerra

Ao conceder estes pedidos, a Europa fará história, pondo fim ao sofrimento dos nacionais de países terceiros afetados pela guerra no seu território. Contribuiria também para escrever uma página mais gloriosa nas relações Norte-Sul.

Informação em caso de assinatura da versão em papel.

Se assinar a versão em papel, por favor preencha as informações abaixo e envie a petição assinada para 

Causas Esquecidas, C/o Espace création, Rue de la Dixence 10, 1950 Sion, Suíça

A nossa solidariedade e apoio às pessoas que fogem da guerra na Ucrânia não deve depender da nacionalidade das vítimas. Nós, os povos da Europa, África, Ásia, América e do mundo, apelamos à Comissão Europeia, ao Parlamento Europeu, ao Conselho Europeu e aos governos de cada Estado do espaço Schengen, incluindo o Conselho Federal Suíço, para que o façam:

Cidadãos globais que nos apoiam:

0
Suíço
0
França
0
Bélgica
0
Espanha
0
Itália
0
Alemanha
0
Canada
0
África

As personalidades que apoiam a nossa petição:

Nationalrat Christophe Clivaz, GP-VS, portraitiert am Montag, 9. Dezember 2019 in Bern. (Parlamentsdienste/Alessandro della Valle)

Christophe Clivaz

Christophe Clivaz é um político suíço dos Verdes.Tem assento no Parlamento como membro do Conselho Nacional.

Lizza Mazonne DR site web

Lisa Mazzone

Política suíça, membro do Partido Verde. É membro do Conselho Nacional do Cantão de Genebra de 2015 a 2019, e depois do Conselho de Estados.

Boubacar_Diop_IMG_2389

Boubacar Boris Diop

Escritor e intelectual senegalês. Em 2000, recebeu o Grand Prix littéraire d'Afrique noire por toda a sua obra.

Par Photograph by Rama, Wikimedia Commons,

Cc-by-sa-2.0-fr, CC BY-SA 2.0 fr,

photo_2022-07-11_18-29-25

Estelle Borel

Artista profissional formado pela FLIC, scuola di circo di Torino (IT).
Estelle co-fundou o Cie Cirqu'en Choc em 2009 e tem sido o seu director artístico desde então. Ela é uma artista muito empenhada e criativa que gosta de estar perto do público.

Photo : Jeelle Anzevui

photo_2022-07-18_08-46-06

Pierre-André THIEBAUD

Autor, director e produtor na Suíça. Desde 1990 que dirige a empresa de produção PCT cinéma.

029 - copie 3

Isabelle Chevalley

Dr. Scientist, especialista em economia circular, membro da Assembleia Nacional Suíça de 2011 a 2021, visita África há 30 anos com numerosos projectos.

PierreBuehler_5

Pierre Bühler

Pierre Bühler, Professor Emérito nas Universidades de Neuchâtel e Zurique. Teólogo e especialista em ética no campo da migração e asilo.

noemimichel_m

Noemi Michel

Investigador-professor, trabalhador cultural e activista no campo do pensamento crítico negro.

Photo Etonam 24h- @Patrick Martin

Etonam Ahianyo

Etonam Ahianyo é um jornalista e agente de mudança. Coordena Save African-Ukraine, um projecto da associação suíça "Causes Oubliées", que assiste os africanos e outros cidadãos não ucranianos que fogem à guerra e defende os seus interesses em toda a Europa.

As seguintes organizações apoiam-nos:

Europa

1- Causes Oubliées, Suíço

2- Droit de Rester Neuchâtel, Suíço

3- Solidarité sans frontières, Suíço

4- Society Moko, Suíço

5- Centre Suisses-Immigrés Valais (CSI VS), Suíço

6- Apprentissages sans frontières, Suíço

7- CRAN-Observatoire du racisme anti-Noir en Suisse

8- Collectif Afro-Swiss, Suíço

9- Solidaires étudiant-e-s, Francia

10- Association Projet Nauyaca, Suíço

11- REPER, Suíço

12- Société Suisse d’ Espéranto, Suíço

13- Collectif Afroféminist Amani, Suíço

14- ARRiVATi, Alemanha

15- Africans From Ukraine, Alemanha

16- africanlivesmatter, Irlanda do Norte

 17- Choosehumanity, Suíço

África

1- DIARISSO, Senegal

2- Patronat de la Presse Togolaise, Togo

3-  Institut des Médias pour la Démocratie et les Droits de l’Homme (IM2DH), Togo

4- African Regional Organisation of the International Trade Union Confederation(ITUC-Africa), Togo

América e o resto do mundo

Petição iniciada por SaveAfricans-Ucrânia, uma iniciativa da associação baseada em Sion “Causes Oubliées”.

CONTACTO

«Causes Oubliées/Forgotten Causes»

C/o Espace Création,

Rue de la Dixence 10

1950 Sion

Tél :+41 78 243 09 10

saveafricans.ukraine@gmail.com

APOIAM A NOSSA CAUSA

CH94 8080 8001 6528 02461

Causes Oubliées/Forgotten Causes

EN FR